sin é do que?







Simple
things
make me
happy.






















Backward

Cause I am

I’m the fury in your head

I’m the fury in your bed

I’m the ghost in the back of your head

Tua ausência envelheceu meus olhos

amarelou meu riso

fiquei sem posses

descaminhei

Volte logo, Poesia

assim quem sabe um dia

à tua revelia

eu possa morrer de vez.

Um café, por favor. Um chá, sem maldade. Um copo de água, com toda a educação, as minhas palavras (e)s(t)ão secas necessito molhá-las. Uma salada com molho de poesia, sem limão.
Traga também um copo de alento, quente, como deve ser. Enquanto a poesia não chega distraio-me com a lembrança, que eu retirei daquele pote e desdobrei nestes dias, daquela tarde amarela. Há tanto tempo me deixaste que faz doer assim. Falta a tua cor. Falta aquele riso desmedido, aquele amor exagerado. Toda a alegria inteligente é um pouco triste, mas ao teu lado era mais fácil. 
Ainda na sombra da tua passagem quase virtual, nublada e inconcreta, e porém tão conferida. Convivência é tédio, afã, desejo, mãos vivas e grito obscuro; é luz coada em um fim de tarde, silêncio que tudo cala e adormece. Também é ficar porque sim e não, e porque o tempo, em si mesmo, antes de ser morte, é beleza. Um beijo.

I.Machado.

Ao longe, ao luar,
No rio uma vela
Serena a passar,
Que é que me revela?

Não sei, mas meu ser
Tornou-se-me estranho,
E eu sonho sem ver
Os sonhos que tenho.

Que angústia me enlaça?
Que amor não se explica?
É a vela que passa
Na noite que fica.

- Fernando Pessoa, 5-08-1921

“When I met you, flowers started growing in the darkest parts of my mind.”

—Unknown  (via orhideas)

(Source: viddhart, via lastminutedreams)

Com isto não quero reafirmar que sou certo para ti, porque não
vou acabar isto com uma mentira. Não sou certo para ti, aliás
não podia ter de mais errado. Comigo vais estar presa a uma responsabilidade de seres graciosa, como uma flor. Cada espinho teu vai ser cravado em mim, e isso deve estar na tua mente sempre. Isto é uma prisão para ti, tu queres ser mais do que
alguém de alguém, tu queres ser livre quando estás presa e
presa quando te deixo livre, queres explorar outros mundos
onde eu não posso ir contigo, queres descobrir o certo e o
errado e cometer os teus próprios erros. E eu sei que só assim se
aprende verdadeiramente, compreendo-te.

Se conseguires amar uma prisão, então espero que estas
palavras te tenham tocado. Se conseguires amar uma prisão
então deves guardar isto num sítio bonito, onde não chova.

E cada vez que discutirmos na casa do futuro, quero que apagues
uma frase deste texto. Quando não houver texto, não há amor. E
é assim que uma má prosa ganha valor.

—L.

Cupid,

it’s okay… you can stop searching,

I’ve found her.

— me

I Think of You.

(Source: youtube.com)

l

Solo.

“This sentence cannot be proved true.”

—Gödel’s Paradox

Chilly Gonzales - White Keys (from SOLO PIANO II) (by Chilly Gonzales)